Twitter Facebook

Notícias

Voltar

Mais de 17 milhões de brasileiras têm doenças cardiovasculares

Mais de 17 milhões de brasileiras têm doenças cardiovasculares

O ganho de peso age nocivamente na saúde do coração e contribui para o surgimento de doenças cardiovasculares. Este problema já afeta 17,1 milhões de mulheres no país, conforme dados da SBC (Sociedade Brasileira de Cardiologia).

O Brasil ocupa a quinta posição em uma análise mundial sobre excesso de peso e esse número cresce cada vez mais. Por conta das rotinas cada vez mais corridas, é comum ouvir histórias de pessoas que engordaram rapidamente devido ao ritmo de vida descompassado, sem uma alimentação adequada e sem a prática de atividade física. Com o avançar da idade, os excessos são ainda mais prejudiciais à saúde do coração.

O Dr. Ricardo Pavanello, cardiologista, destaca a importância de atitudes preventivas e da mudança no estilo de vida. “Recomenda-se a diminuição da ingestão de sal, produtos industrializados ricos em sódio, embutidos e doces. É necessária uma atenção especial com as guloseimas de sabor adocicado, pois elas podem conter sódio e causar o aumento da pressão e sobrecarregar o trabalho do coração. Aliado ao cardápio saudável, é imprescindível a realização de atividade física, seja caminhada, hidroginástica, sempre que possível com avaliação prévia”, alerta o especialista.

Mesmo quem não é hipertenso, mas tem algum caso na família, deve ficar atento. Isso porque o aumento de peso torna-se um agente para o surgimento da doença. Conforme dados da Sociedade Brasileira de Hipertensão, 7 milhões de pessoas morrem a cada ano no mundo por causa do problema e 1,5 bilhão adoecem em função da pressão alta. Como consequência ainda pode surgir derrame, diabetes e problemas renais.

“O ideal é agir de forma preventiva para evitar as doenças cardiovasculares e a alimentação é uma grande aliada. Existem alimentos que naturalmente contribuem para um bom funcionamento do organismo e protegem a saúde do coração. O paciente deve optar por alimentos que ajudem a diminuir a pressão arterial, reduzam o colesterol ruim (LDL), os triglicérides e auxiliem na melhora do colesterol bom (HDL) e da circulação”, ressalta Pavanello.

Um estudo publicado pela revista científica The Lancet revelou que a população acima do peso recomendável pela OMS (Organização Mundial de Saúde) cresceu de forma considerável nos últimos tempos. Em alguns casos é necessário o uso de medicamento para evitar os males iminentes devido ao sobrepeso, mas é indicada também a adesão a novos hábitos. Em muitos casos, um dos tratamentos indicados para prevenir o risco de doenças cardiovasculares é o uso do ácido acetilsalicílico. A terapia reduz o risco de infarto e acidente vascular cerebral e previne tromboembolismo, mas deve ser adotada somente após consulta médica.

Fonte: Site Coração Alerta

Veja também

Doenças cardiovasculares serão debatidas em Simpósio

Doenças cardiovasculares serão debatidas em Simpósio

As doenças cardiovasculares são as doenças que mais matam em todo o mundo. Em 2016, somente no Br...
Noite mal dormida pode afetar o coração

Noite mal dormida pode afetar o coração

Dormir menos de seis horas por dia pode prejudicar o coração. Quem faz o alerta é o cardiologista...

Calendário