Twitter Facebook

Notícias

Voltar

Mais de 17 milhões de brasileiras têm doenças cardiovasculares

Mais de 17 milhões de brasileiras têm doenças cardiovasculares

O ganho de peso age nocivamente na saúde do coração e contribui para o surgimento de doenças cardiovasculares. Este problema já afeta 17,1 milhões de mulheres no país, conforme dados da SBC (Sociedade Brasileira de Cardiologia).

O Brasil ocupa a quinta posição em uma análise mundial sobre excesso de peso e esse número cresce cada vez mais. Por conta das rotinas cada vez mais corridas, é comum ouvir histórias de pessoas que engordaram rapidamente devido ao ritmo de vida descompassado, sem uma alimentação adequada e sem a prática de atividade física. Com o avançar da idade, os excessos são ainda mais prejudiciais à saúde do coração.

O Dr. Ricardo Pavanello, cardiologista, destaca a importância de atitudes preventivas e da mudança no estilo de vida. “Recomenda-se a diminuição da ingestão de sal, produtos industrializados ricos em sódio, embutidos e doces. É necessária uma atenção especial com as guloseimas de sabor adocicado, pois elas podem conter sódio e causar o aumento da pressão e sobrecarregar o trabalho do coração. Aliado ao cardápio saudável, é imprescindível a realização de atividade física, seja caminhada, hidroginástica, sempre que possível com avaliação prévia”, alerta o especialista.

Mesmo quem não é hipertenso, mas tem algum caso na família, deve ficar atento. Isso porque o aumento de peso torna-se um agente para o surgimento da doença. Conforme dados da Sociedade Brasileira de Hipertensão, 7 milhões de pessoas morrem a cada ano no mundo por causa do problema e 1,5 bilhão adoecem em função da pressão alta. Como consequência ainda pode surgir derrame, diabetes e problemas renais.

“O ideal é agir de forma preventiva para evitar as doenças cardiovasculares e a alimentação é uma grande aliada. Existem alimentos que naturalmente contribuem para um bom funcionamento do organismo e protegem a saúde do coração. O paciente deve optar por alimentos que ajudem a diminuir a pressão arterial, reduzam o colesterol ruim (LDL), os triglicérides e auxiliem na melhora do colesterol bom (HDL) e da circulação”, ressalta Pavanello.

Um estudo publicado pela revista científica The Lancet revelou que a população acima do peso recomendável pela OMS (Organização Mundial de Saúde) cresceu de forma considerável nos últimos tempos. Em alguns casos é necessário o uso de medicamento para evitar os males iminentes devido ao sobrepeso, mas é indicada também a adesão a novos hábitos. Em muitos casos, um dos tratamentos indicados para prevenir o risco de doenças cardiovasculares é o uso do ácido acetilsalicílico. A terapia reduz o risco de infarto e acidente vascular cerebral e previne tromboembolismo, mas deve ser adotada somente após consulta médica.

Fonte: Site Coração Alerta

Veja também

Inovação marca XXVI edição da Jornada de Cardiologia

Inovação marca XXVI edição da Jornada de Cardiologia

Plateia participativa e diversidade de público. Estas foram algumas das características mais marca...
Feira sedia um dos maiores eventos de Cardiologia do Nordeste

Feira sedia um dos maiores eventos de Cardiologia do Nordeste

      As doenças cardiovasculares representam a maior causa de mortes no Brasil. Somente em 2017...
Doenças cardiovasculares serão debatidas em Simpósio

Doenças cardiovasculares serão debatidas em Simpósio

As doenças cardiovasculares são as doenças que mais matam em todo o mundo. Em 2016, somente no Br...

Calendário